Há bastante tempo que pretendo levar avante um projecto para colocar um balão a mais de 10km de altitude.

No payload ia levar vários instrumentos que nem vou descrever agora, pois há assuntos que têm de se resolver primeiro.

Visto que 10km ainda é bastante alto, decidi por bem comunicar com o INAC (Instituto Nacional de Aviação Civil), que não tiveram a amabilidade de me responder ao e-mail.

Tempos depois enviei uma cópia para o aeroporto de Lisboa, de onde me responderam de forma muito esclarecedora.

Olá.

O meu nome é David Martins e gostaria de realizar um pequeno projecto junto com uns amigos.
Eu queria fazer subir um balão de hélio até uma determinada altura e depois fazê-lo cair.

A minha dúvida é qual é o máximo que o balão (raio de 30cm) poderá subir sem entrar em espaço aéreo.
Na carga do balão irá um equipamento capaz de medir a altitude e quando atingir esse valor faz rebentar o balão.

Gostava que me indicassem também se haverá, ou poderá haver, algum problema de maior nesta zona. O lançamento está previsto na zona da Covilhã.

O ideal seria poder subir até pelo menos 10km de altitude, mas se necessário faz-se rebentar mais abaixo.

Fico a aguardar resposta.

Obrigado.


Com os melhores cumprimentos,



Sem resposta, entrei em contacto com o aeroporto.

Olá.

O meu nome é David Martins e gostaria de realizar um pequeno projecto junto com uns amigos.
Eu queria fazer subir um balão de hélio até uma determinada altura e depois fazê-lo cair.

A minha dúvida é qual é o máximo que o balão (raio de 30cm) poderá subir sem entrar em espaço aéreo.
Na carga do balão irá um equipamento capaz de medir a altitude e quando atingir esse valor faz rebentar o balão.

Gostava que me indicassem também se haverá, ou poderá haver, algum problema de maior nesta zona. O lançamento está previsto na zona da Covilhã.

O ideal seria poder subir até pelo menos 10km de altitude, mas se necessário faz-se rebentar mais abaixo.

Fico a aguardar resposta.

PS: enviado cópia do e-mail para o INAC sem qualquer resposta.

Obrigado.


Com os melhores cumprimentos,



Passado algum tempo, tenho finalmente uma resposta esclarecedora.
Exmo. Senhor

Não é viável de todo tendo em conta as altitudes referidas.

Nesta zona existe bastante tráfego em altitude, pelo que seria necessário fazer uma reserva de espaço aéreo.

Mas para o processo ser desencadeado será sempre necessário começar pelo INAC (noto a sua referência à cópia do pedido para o INAC, mas terá que insistir), depois é preciso ter em consideração que a zona da Covilhã fica numa área militar (TRA55 e TRA54) pelo que será necessário contactar os militares. E só depois poderíamos emitir um parecer com dados mais concretos relativamente às coordenadas do local, mas avanço já que o mesmo implicava uma reserva de espaço aéreo como referi.

Melhores cumprimentos



Preciso autorização do INAC e da aviação militar, para largar um simples balão com raio de 30cm e a rebentar aos 10km... mais um projecto que salta para a gaveta!

Já estou a imaginar, o INAC define os dias de 10 a 20, e os militares de 25 ao dia 31. Não deverá ser fácil agradar a gregos e a troianos.



6 Responses so far.

  1. Para que a ciência emigre para outro país, normalmente costuma-se complicar. Tornar mais difícil é naturalidade nesta nacionalidade.

    Contacta a AMRAD, e eles junto com o IST ajudam-te. Já têem mt experiência de lançamentos anteriores.

  2. Eu contactei em tempos... mas não obtive resposta.

    Vou tentar novamente e ver no que dá.

  3. Antes de mais, parabéns pelo blog ;) É o primeiro blog em português de Portugal que vejo e sobre projectos electrónicos sem "arduinices" :P Continua ;) Quanto aos balões, também podes tentar informar-te com o pessoal do Spacebits (http://blog.spacebits.eu/) que pelo que parece já fizeram uns lançamentos. Também é um projecto que tenho na gaveta :)

  4. Olá "msaleiro"! Tenho muito prazer que tenha visitado o meu blogue e agradeço o incentivo ;).

    Desde já, admito que desconhecia o "http://thebitbangtheory.blogspot.pt/", mas vou ficar mais atento a partir de agora :D.

    Em relação a esta ideia, posso dizer que já teve diversos formatos: balão apenas com emissor, balão com payload recuperável, balão preso com um fio (2/3km), balão a rebentar a altura determinada, etc...
    É complicado de se fazer. Fico um bocado triste cada vez que vou ao youtube e vejo alguns lançamentos (especialmente nos states) ou coisas como o phonesat... em Portugal seria impossível.

    Sou radioamador e já enviei alguns mais para a AMRAD, mas não sei se não respondem, ou se vai parar à caixa de spam...

    Acho que vou deixar este projecto apanhar mais um pouco de pó...



    Uma dúvida: no blog mostra uma PCB para uma controlador de CNC. Onde mandou fabricar a mesma? Fez em casa?
    Eu precisava de encontrar um "local" para fazer as PCB's de protótipo e que fossem rápidos...
    Mas além da G7, não conheço mais...



    Cumps ;)



  5. Boas! No meu caso cheguei a mandar vir algum material do ebay (módulo GPS e módulo GSM, antenas GPS e GSM) mas por falta de tempo ainda nem os testei. Também pensei na hipótese de usar uns telemóveis Samsung ou Siemens que tenho aqui e já testei, mas não passou disso. As burocracias e o incumprimento da lei fazem com que grandes projectos tecnológicos fiquem na gaveta . Já estive com ideias de criar uma empresa mas assim que comecei a procurar pela legislação e normas europeias.. é para esquecer.. :\ Mas se o pessoal do Spacebits conseguiu, então é porque pelo menos é possível fazê-lo por cá.. deve é ser preciso encontrar os "cordelinhos" certos para puxar :\
    Quanto à PCB, fiz em casa. É coisa que se faz numa hora :) Para as que faço em casa normalmente uso o método da transferência do toner e apesar de não dar resultados tão bons como com placas fotosensíveis e luz UV, desenrascam :)

    Se um dia destes avançar com o projecto dos balões e conseguir mais alguma informação útil aviso :)

  6. OK.

    Ficarei à espera de futuros desenvolvimentos.

    Vamos lá ver se o projecto sai da gaveta para voar :).



    Cumps ;)

Publicar um comentário